Tag Archives: Passos Coelho

Uma crise patética

3 Jul

João Marcelino no DN:
Há momentos em que a realidade supera a pior das expectativas. Esta crise política, que vai inevitavelmente conduzir à queda do Governo nos próximos dias, é um desses lamentáveis momentos. Em menos de 24 horas, desertaram os dois ministros de Estado. Foi nomeada para a pasta das Finanças uma pessoa que está no centro de uma polémica discussão pública e parlamentar e que tomou posse num ambiente digno de um funeral. O líder do CDS ensaiou uma saída de cena que não contemplava a obrigação de explicar qual a posição futura do seu partido na coligação. E, a cereja em cima do bolo, o primeiro-ministro prosseguiu esta peça teatral de baixo nível fazendo um discurso caricato em que se nega a aceitar a realidade – e por isso não pediu até ao Presidente da República a exoneração de Paulo Portas (que foi apresentada como “irrevogável” em carta pública). Estamos perante um dos mais caricatos episódios da política portuguesa desde que a Democracia se instalou em Portugal, em 1974. Absolutamente patético! É óbvio que esta crise vai acabar em eleições a muito curto prazo. Passos Coelho, que hoje vai a Berlim à espera que seja o CDS a explicitar o fim do Governo, está apenas a jogar com Paulo Portas uma incrível partida de xadrez que desmente o sentido de responsabilidade tantas vezes reclamado pelo Governo. Ambos querem empurrar para o outro o ónus de terem frustrado as expectativas do País. Apenas isso. Lamentavelmente, só isso. E, entretanto, os mercados vão fazendo as leituras devidas. Passos Coelho e Paulo Portas podem querer continuar a reclamar terem ganho a batalha da credibilidade externa do País. Mas aprestam-se para deixarem os juros da dívida pública nacional de novo bem acima dos 7%, acompanhada de um exército de desempregados, um défice ainda descontrolado, um endividamento crescente, uma espiral recessiva instalada, centrais sindicais na rua e confederações patronais unidas na recusa deste caminho para a economia. Esta é a realidade – e ela desmente o discurso do primeiro-ministro, que tem da ação do seu Governo uma perspetiva delirante. É obvio que esta crise é má para Portugal. Mas sendo Passos Coelho e Paulo Portas os únicos responsáveis pelo que se está a passar, um elementar sentido mínimo de bom senso deve aconselhá-los a saírem de cena muito rapidamente. Se lhes faltar isso, resta esperar que Cavaco Silva saiba sair do estado de hipnotismo em que entrou e acabar com a palhaçada. O pós-troika, agora, vai ter de esperar. E o País precisa de saber se tem ou não Presidente da República.

Enquanto Passos não cumpre

5 Jun

Espantosa a evolução dos transportes ferroviários no Japão, enquanto por cá ainda se aguarda que se dê sequência a uma promessa eleitoral feita pelo actual primeiro-ministro aos utentes da linha da Lousã. Os canais e as estações já lá estão . Não precisamos desta velocidade. Apenas precisamos de ver cumprida a promessa.

 

O arrependimento

1 Abr
Jornal Publico, 1.04.13

Jornal Publico, 1.04.13

Originalidades

24 Fev

A ideia de pedir fatura em nome de Passos Coelho é original como modelo de contestação e já teve eco na imprensa internacional. Mas  esse protesto traz com ele uma curiosa contradição, a de satisfazer os dois membros do Governo que se pretendem atingir. Vitor Gaspar vê  satisfeito o seu objectivo de controlo das transacções comerciais e de fuga aos impostos e Passos Coelho vai beneficiar da dedução em sede de IRS . Só nos confirma como um povo original na contestação social.

Pensamento nocturno

8 Jan

Godinho Lopes está para o Sporting Clube de Portugal como Passos Coelho para o Pais : nenhum deles se demite apesar de perceberem que ninguém os quer. Ambos vão ter que ser demitidos.

A luz ao fundo do túnel

6 Jan

20130106-191503.jpg
Cartoon de Henricartoon

Passos Coelho : ” Estamos a vislumbrar a saída”