Tag Archives: autárquicas
Imagem

Convite

13 Jun

20130613-235227.jpg

Imagem

Naturalmente

16 Nov

20121116-191852.jpg

Candidatura PS a Montemor-o-Velho

6 Nov

20121106-023551.jpg

Comunicação à imprensa 05/11/2012

“Está marcada para o próximo dia 15 de Novembro de 2012 uma Comissão Política Extraordinária do Partido Socialista de Montemor-o-Velho, para, nos termos estatutários e regulamentares se proceder à escolha do candidato à Câmara Municipal de Montemor-o-Velho para as Eleições Autárquicas de 2013.
Os secretários coordenadores das respectivas secções do PS de Montemor-o-Velho ( com exceção de uma), a título individual (sem vincular o órgão a que presidem), em conjunto com os Presidentes de Junta, Juventude Socialista e demais autarcas locais socialistas, entendem, tomar uma posição pública, clara e objectiva sobre a escolha do candidato à Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, pois com as responsabilidades políticas que têm na condução política do Partido Socialista de Montemor-o-Velho, seu contacto directo com as populações, militantes e simpatizantes, têm a perfeita noção e consciência da importância que tem para este concelho, nas próximas eleições autárquicas de 2013, a apresentação de um candidato à presidência da Câmara Municipal, forte, credível, competente, com ampla experiência e conhecimento dos problemas do concelho, para de uma forma definitiva e irreversível, se possa inverter o “caos” e o “pântano” político em que se encontra a governação do nosso Município! (…)
(…) Assim, os secretários coordenadores, presidentes de junta, autarcas locais e demais pessoas que, de forma espontânea se quiseram associar a esta iniciativa, deixam aqui, o seu mais expressivo apelo, para que o Dr. Emílio Torrão assuma, desde já, a sua candidatura à Presidência da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, nas próximas Eleições Autárquicas de 2103, pois a mesma representará uma forte mensagem de esperança e alegria para todos os habitantes deste concelho, que aqui querem viver com qualidade de vida e que esperam dos seu Presidente de Câmara um dedicação exclusiva à causa pública, ao bem-estar dos seus Munícipes e que seja um exemplo de governação para as futuras gerações, para os concelhos vizinhos e neste País!
Queremos contar com a candidatura do Dr. Emílio Torrão à Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, oferecendo, desde já, sem reservas, o nosso total empenho e dedicação na sua, mais que certa, eleição, bem como, total disponibilidade, para em conjunto colaborarmos no desempenho futuro do seu mandato e conclusão dos objectivos que se impõe atingir no desenvolvimento do nosso concelho.”

O comunicado pode ser lido na íntegra aqui

Candidato à Câmara de Coimbra ?

7 Out

A solução está aqui.

Citação

Não se passa nada

23 Set

“O país viveu duas semanas sob a ameaça de ficar sem Governo num momento especialmente crítico, tais eram as divergências públicas no seio da coligação a propósito da famosa TSU. Mas, afinal, não se passou nada. Um simples comunicado em que a TSU não é sequer referida bastou para que os dois partidos ficassem amigos como dantes.

Tão amigos que já na próxima semana vão tratar de um assunto mais importante e urgente: a preparação de coligações que permitam ao CDS salvar a pele nas próximas eleições autárquicas.

Quando Cristiano Ronaldo ficou triste, jurou que não era por dinheiro, mas a sua tristeza acabou assim que se dispuseram a pagar-lhe, segundo as notícias, mais uns milhões de euros. Paulo Portas é o Ronaldo desta história. Entristeceu com a TSU, mas a tristeza foi-se na hora em que o PSD se prontificou a dar-lhe a mão no difícil transe das autárquicas. Nada disto se passou assim? Talvez não. Mas é o que parece depois de os dois partidos terem metido as eleições locais no comunicado sobre a vaga tentativa de disfarce da crise governativa. Se pretendiam dizer que a coligação está tão forte e coesa que até vai alargar-se às autarquias, o que conseguiram foi transmitir a ideia de que, na hierarquia das suas preocupações, o negócio partidário está ao mesmo nível, se não um pouco acima, de tudo o que atormenta o país.

A democracia portuguesa já viveu muitas crises governamentais, mas não há memória de nenhuma com tanta infantilidade e jogo rasteiro. Talvez Passos Coelho tenha percebido, enfim, o que lhe aconteceu. Por leviandade e sobranceria, desprezou o PS, atraiçoou a UGT, ignorou o Presidente e foi inchando de autossuficiência até perder o país e acabar refém de um especialista em manobras de sobrevivência política. E que por ela fará sempre o que for preciso, incluindo desacreditar, quando tal lhe der vantagem, o Governo de que faz parte.

A confiança só se perde uma vez — dizem que é como a virgindade —, pelo que se percebe bem que Passos e Portas nem tenham vindo a público fingir que voltavam a confiar um no outro. Isso pouca importância teria se a confiança dos portugueses, insultados pelo modelo TSU de empobrecimento, com a ostensiva transferência de riqueza do trabalho para o capital, ainda pudesse ser recuperada. É triste, mas quando mais precisávamos de um Governo forte e credível, só temos o que aí está: algo que mais parece um cadáver político adiado.”

Fernando Madrinha no Expresso 2012-09-22

Curiosas coincidências

4 Set

Paulo Portas ficou desagradado com a situação da RTP e recusou a ideia de imposto especial sobre os subsidios no público e no privado, depois de um ano de sossegada convivência com o parceiro da coligação; Mas quando a vida corre mal, tudo ajuda. Agora, uns bons anos depois do inicio da investigação, a imprensa traz à luz que Portas foi escutado no negócio dos submarinos descobrindo-se que só falava do assunto pessoalmente e pelo telefone fixo.

Mas diz o povo e tem razão que o mal de uns é a alegria de outros. Ficamos a saber que não houve acordo para um projecto comum da revisão da lei eleitoral autárquica e , por isso, as proximas eleições autárquicas serão reguladas pela lei em vigor.

É caso para concluir: com tantos problemas há assuntos bem mais importantes a resolver entre os dois.

Lembram-se ?

28 Ago

Com as eleições autárquicas no próximo ano, o PSD resolveu utilizar a estratégia de “encanar a perna à rã” no Sistema de Mobilidade do Mondego, votando contra a irreversibilidade da ferrovia. ” Cada dia que passa aumenta a factura que vamos ter de pagar ” afirmava Miguel Macedo há pouco mais de um ano e garantia a ferrovia como solução.

Em Maio de 2011, apesar da contestação as obras estavam em execução

Ainda em Março de 2011, João Rebelo , ex vereador de Carlos Encarnação e Administrador da Metro Mondego, garantia a continuidade da obra e o lançamento de novos concursos

Entretanto vieram as eleições e Passos Coelho compromete-se em reactivar a linha, que todos sabem tecnicamente impossivel no novo canal

Um ano e pouco depois … reina o silêncio.

Financiamento Internacional

oportunidades e recursos

Praça do Bocage

Conversa sobre o que nos dá na real gana…

almôndega

narrativas, cebolas e molho vermelho

Recordar, Repetir e Elaborar

O de sempre, só que de novo.

Pra Fora

Depositário do que eu vejo por aí

O Informador

Jornalismo, média, actualidade nacional e internacional

Palavras ao Poste

A OPINIÃO (QUASE) CERTEIRA

%d bloggers like this: