Archive | Uncategorized RSS feed for this section

Europeias: Boicotes ao voto e vários pro

25 Maio

Europeias: Boicotes ao voto e vários protestos – TSF http://ow.ly/xeBdB

Soares tem reunido com diferentes corren

14 Fev

Soares tem reunido com diferentes correntes socialistas, excepto a de Seguro – PÚBLICO http://ow.ly/tCDer

Renováveis em Portugal batem recorde his

12 Fev

Renováveis em Portugal batem recorde histórico em Janeiro – PÚBLICO http://ow.ly/tyBOe

Feliz Natal

24 Dez

Porque não nos revoltamos…

17 Nov

Censura con silencio de la TV, Prensa y Política sobre los 3.158 suicidios ciudadanos por la crisis causada por los errores, estafas o lucrarse de ello por políticos y banqueros, con mas de120 suicidios solo por desahucios. Los suicidios ya supera las muertes por trafico. Recordamos: Grecia 720 desahucios al año, España 512 desahucios al día.

La crueldad e insensibilidad de los políticos en torno al drama dela pobreza y el paro ha convertido a España en la vergüenza del mundo, sin que los poderes públicos se aperciban de la gravedad de la catástrofe para quienes la sufren. Este cataclismo ha obligado al movimiento 15-M a abrir una página en Wikipediapara intentar cuantificar el número de suicidios en España relacionados con la crisis, cifra que va a aumentando cada mes. No están incluidas las tentativas como la del joven Leandro en Málaga, lo que incrementaría notablemente la cifra. (…)
Para continuar a ler aqui.
E a explicação psicológica para o desespero aprendido…

O que verdadeiramente nos mata

4 Nov

“O que verdadeiramente nos mata, o que torna esta conjuntura inquietadora, cheia de angústia, estrelada de luzes negras, quase lutuosa, é a desconfiança. O povo, simples e bom, não confia nos homens que hoje tão espectaculosamente estão meneando a púrpura de ministros; os ministros não confiam no parlamento, apesar de o trazerem amaciado, acalentado com todas as doces cantigas de empregos, rendosas conezias, pingues sinecuras; os eleitores não confiam nos seus mandatários, porque lhes bradam em vão: «Sede honrados», e vêem-nos apesar disso adormecidos no seio ministerial; os homens da oposição não confiam uns nos outros e vão para o ataque, deitando uns aos outros, combatentes amigos, um turvo olhar de ameaça. Esta desconfiança perpétua leva à confusão e à indiferença. O estado de expectativa e de demora cansa os espíritos. Não se pressentem soluções nem resultados definitivos: grandes torneios de palavras, discussões aparatosas e sonoras; o país, vendo os mesmos homens pisarem o solo político, os mesmos ameaços de fisco, a mesma gradativa decadência. A política, sem actos, sem factos, sem resultados, é estéril e adormecedora” continuar a ler aqui

Eça de Queirós, “Distrito de Évora”

ng1037839_435x200

Campos e Cunha ao Económico TV

29 Out

“TC fez mais pela retoma do que últimas medidas do Governo”

Em entrevista ao Económico TV, Luís Campos e Cunha diz que os cortes não resultam de qualquer , estratégia do Executivo.

Margarida Peixoto

Para Luís Campos e Cunha, ex-ministro das Finanças do primeiro Governo de Sócrates, o Tribunal Constitucional já fez mais pela retoma da economia, do que as últimas medidas do Governo. O economista explica que quando o Tribunal traçou algumas “linhas vermelhas”, deu certezas às famílias e às empresas que lhes permitiram, apesar de tudo, tomar algumas decisões de consumo e investimento.

“Repare que há ligeiríssimos sinais de retoma e curiosamente coincidem com meses depois de o Tribunal Constitucional (TC) ter chumbado uma série de medidas do Governo”, notou o ex-ministro das Finanças, em entrevista ao Etv. “O TC estabeleceu linhas vermelhas que o Governo não podia ultrapassar. E isso dá confiança aos agentes económicos, seja enquanto pais de uma criança, seja enquanto investidores e criadores de emprego”, explicou. “Portanto, nesse aspecto, fez mais para a retoma do País do que provavelmente as últimas medidas do Governo”, concretizou.

Para o economista, a Constituição portuguesa não é das mais rígidas da Europa. A Alemanha, por exemplo, considera as pensões como “direitos de propriedade”, exemplificou Campos e Cunha, acrescentando que, seja como for, os cortes anunciados pelo Executivo “não têm nada a ver com a sustentabilidade do sistema”. O ex-ministro diz que o Governo está a cortar “sem estratégia” e nota que tal como estão a ser aplicados, estes cortes assemelham-se economicamente a mais impostos. “No fundo, são equivalentes matemática e economicamente, não contabilisticamente, a um imposto especial para os reformados e para os funcionários públicos”, garantiu.
Para dar a volta à crise, Campos e Cunha só vê uma saída no médio/longo prazo: “A reforma do sistema político”. O professor diz que “a política é forte com os fracos e fraca em relação aos fortes” e por isso é que é necessário reformar o sistema em dois pontos-chave: “A reforma do sistema eleitoral e o financiamento dos partidos”.

Por um lado, é através do financiamento que “os grandes interesses influenciam os partidos e a política”. Por outro, “as pessoas votam em pessoas eventualmenteapoiadas por’ partidos – mas votam em pessoas e não necessariamente sem saber quem é que lá está”, acrescentou. É por isso que “é importante ter pessoas credíveis e mais qualidade nos agentes políticos”.
Diário Económico 2013.10.29

Financiamento Internacional

oportunidades e recursos

Praça do Bocage

Conversa sobre o que nos dá na real gana…

almôndega

narrativas, cebolas e molho vermelho

Recordar, Repetir e Elaborar

O de sempre, só que de novo.

Pra Fora

Depositário do que eu vejo por aí

Casa das Aranhas

Uma Voz Alternativa Islâmica em Português

O Informador

Jornalismo, média, actualidade nacional e internacional

Palavras ao Poste

A OPINIÃO (QUASE) CERTEIRA

%d bloggers like this: