PS quer saber se a qualidade dos serviços saúde é importante para Paulo Macedo

9 Jul
O PS exigiu hoje explicações ao ministro da Saúde sobre a situação “grave” vivida em vários hospitais portugueses, sem capacidade para repararem avarias em equipamentos fundamentais, e considerou “legítimas” as reivindicações e a paralisação dos enfermeiros.
Estas posições foram transmitidas aos jornalistas pela deputada socialista Luísa Salgueiro, numa declaração em que sustentou que “à medida que sobe em alguns fóruns a popularidade” do ministro da Saúde, Paulo Macedo, “desce a qualidade dos serviços de saúde em Portugal”.
“Nos últimos dias, a situação vivida nos hospitais é grave e coloca em causa a saúde dos portugueses. Verificam-se casos de cidadãos que recorreram aos hospitais para evitar os efeitos da vaga de calor no país, mas em muitos casos estão a enfrentar temperaturas superiores às que têm nas suas próprias casas”, denunciou a deputada do PS eleita pelo círculo do Porto.
Segundo Luísa Salgueiro, esta situação pode constituir “um aviso do que poderá acontecer no conceituado Serviço Nacional de Saúde (SNS)” a curto e médio prazos.
“Desta vez foram os aparelhos de ar condicionado que avariaram, porque as administrações estão impedidas de proceder à assinatura de contratos de renovação e de manutenção de equipamentos – equipamentos não apenas de enfermarias, mas também dos próprios blocos operatórios. Há o risco de os blocos operatórios não poderem funcionar e de se adiarem cirurgias”, apontou a deputada socialista.
Luísa Salgueiro disse depois que a atual situação “é um sinal do que poderá acontecer em muitos serviços do SNS”.
“Qualquer dia avariam aparelhos elétricos ou mecânicos e os hospitais entrarão num processo ainda mais complicado. O que se está a passar preocupa o PS e prova-se que a obsessão contabilística do ministro da Saúde mais tarde ou mais cedo teria estes efeitos”, afirmou.
Neste contexto, a deputada socialista exigiu que Paulo Macedo explique com detalhe o que se está a passar nos hospitais portugueses.
“De uma vez por todas, apelamos ao senhor ministro no sentido de que pense mais na situação dos portugueses e menos nos números que tanto o preocupam”, acrescentou.
Interrogada sobre a posição do PS em relação à greve dos enfermeiros, Luísa Salgueiro considerou que este setor profissional “tem toda a legitimidade” em optar pela paralisação.
“Está em causa uma questão de igualdade de tratamento em relação a outros setores do SNS. Se, para algumas coisas, os enfermeiros são encarados como funcionários públicos, também têm de ser encarados como funcionários públicos para outras coisas. O que acontece é que para aquilo que interessa ao senhor ministro os enfermeiros são funcionários públicos e quando isso não interessa perdem essa qualidade”, advogou Luísa Salgueiro.
PMF // PGF

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Financiamento Internacional

oportunidades e recursos

Praça do Bocage

Conversa sobre o que nos dá na real gana…

almôndega

narrativas, cebolas e molho vermelho

Recordar, Repetir e Elaborar

O de sempre, só que de novo.

Pra Fora

Depositário do que eu vejo por aí

Casa das Aranhas

A Verdade vem Sempre ao de Cima

O Informador

Jornalismo, média, actualidade nacional e internacional

Palavras ao Poste

A OPINIÃO (QUASE) CERTEIRA

%d bloggers like this: