OS PASSOS DE CAVACO SILVA

17 Mar

O pedido de audiência de Passos Coelho ao Presidente da República, agendada para esta quinta-feira, não terá ocorrido, por certo, no momento mais adequado para Cavaco Silva, o qual desejaria, nesta altura, manter-se afastado das movimentações (e convulsões) partidárias.

Na verdade, depois de um discurso de tomada de posse que só mereceu o aplauso das bancadas do PSD e do CDS, partidos que estiveram na base de apoio da sua recandidatura, Cavaco Silva desejaria afastar-se desse posicionamento fracturante e apresentar-se aos portugueses numa posição de absoluta independência perante as posições que os diversos partidos venham a assumir na próxima semana, e particularmente os partidos à direita do espectro partidário.

Mas não foi esse o entendimento de Passos Coelho. Na minha opinião,o líder do PSD temendo que o Presidente da República não valide a sua pretensão de chamar os portugueses às urnas e confrontado com a pressão dos seus companheiros de partido, terá pedido essa audiência para condicionar a posição futura de Cavaco Silva.

Senão vejamos:

Se perante a recusa do partido de Passos Coelho em aprovar o PEC IV e a óbvia crise política que se seguirá -acreditando que os restantes partidos também não o viabilizarão – , o Presidente da República não convocar eleições, o líder do PSD deslocará a critica e a pressão dos seus companheiros de partido para Belém, fazendo dessa forma o seu seguro de liderança.

O mesmo ocorrerá se o PSD vier a viabilizar, com ou sem alterações, o PEC que será discutido na Assembleia da República durante a próxima semana. A ideia que deixará passar para os militantes do seu partido é de que terá sido Cavaco Silva o responsável por tal alteração.

Mas se pelo contrário, Cavaco Silva o secundar na irresponsabilidade de submeter o País a eleições antecipadas ficará prisioneiro da ideia de que Passos Coelho terá ido a Belém cobrar o apoio à sua reeleição como Presidente da República. Na verdade, perante as declarações conhecidas de diversos responsáveis da Comissão Europeia sobre o recente Plano de Estabilidade e Crescimento apresentado pelo Primeiro-Ministro português e o apelo feito por Cavaco Silva à redução da despesa do Estado por forma a ser possível cumprir os compromissos de Portugal perante as instâncias europeias, mal se perceberia uma decisão em sentido contrário sem a enquadrar no acerto de contas das eleições presidenciais.

Por certo, também o Governador do Banco de Portugal não deixará de concordar com a posição dos seus homólogos europeus sobre a importância da aprovação no Parlamento do PEC IV. Como não deixará de considerar de extrema gravidade para o país o surgimento de uma crise política, razão pela qual será importante ouvir a sua opinião.

No caso de optar por eleições antecipadas, Cavaco Silva seria co-responsável pelas consequências brutais que poderiam advir dessa crise política para os portugueses , assumindo-se como parte do problema e não da solução.

Por isso tudo, entendo que Passos Coelho criou um problema a Cavaco Silva com o seu pedido de audiência,  atitude que me parece não ser totalmente descontextualizada dos comentários que alguns militantes dados como próximos do Presidente da República tem vindo a proferir sobre a sua liderança.

Aguardemos pelos desenvolvimentos dos próximos dias para perceber se Cavaco Silva se conseguiu libertar do espartilho em que Passos Coelho o colocou, assumindo o seu lugar de Presidente de todos os portugueses e de referencial da estabilidade política, apelando ao sentido de responsabilidade do líder do seu ex partido.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Financiamento Internacional

oportunidades e recursos

Praça do Bocage

Conversa sobre o que nos dá na real gana…

almôndega

narrativas, cebolas e molho vermelho

Recordar, Repetir e Elaborar

O de sempre, só que de novo.

Pra Fora

Depositário do que eu vejo por aí

O Informador

Jornalismo, média, actualidade nacional e internacional

Palavras ao Poste

A OPINIÃO (QUASE) CERTEIRA

%d bloggers like this: